Buscar
  • cbicestas

História da Feijoada

HISTORIA DA FEIJOADA

A feijoada é um dos pratos mais famosos da culinária brasileira. O mesmo consiste na mistura de feijão preto, carne de porco, farofa, entre outros ingredientes. De fato, a história dessa iguaria é objeto de confusão para muita gente graças a uma explicação popular inverídica de que o prato teria sido criado pelos escravos.

Segundo essa lenda contemporânea, os senhores não comiam as partes menos nobres do porco, como orelhas e pés, e davam tais pedaços aos escravos. Como a alimentação dos mesmos era baseada apenas em cereais, como milho e feijão, estes resolveram pegar as partes do porco que eram rejeitadas e juntá-las ao feijão.

Na verdade, a grande inverdade dessa crença popular é dizer que os senhores desperdiçavam comida. Naquele tempo, a monocultura, a escassez e os altos preços dos alimentos tornavam a alimentação muito pobre. Para se ter uma ideia, muitos senhores acabavam falecendo em razão da alimentação deficiente durante os tempos coloniais. Portanto, não tinha como os ricos proprietários rurais ostentarem: a situação era difícil para todos.

Diante dessa realidade, os escravos comiam praticamente a mesma coisa que os senhores. Além disso, deveriam ser bem alimentados, uma vez que seu trabalho era a base da economia na época.

De fato, acredita-se que a feijoada já existia antes na Europa, mas com outro nome: o cozido. Podemos encontrar exemplos do prato na culinária de países como França (cassoulet), Espanha (cozido madrilenho) e Itália (casseruola). Provavelmente, a nossa feijoada foi uma adaptação do cozido europeu, mas com uma grande diferença: o emprego do feijão preto, finalmente uma contribuição tipicamente brasileira.

http://www.historiadetudo.com/feijoada


1 visualização

CONTATOS

TEL 11 2481-2352

WHATS APP 11 99884-0121

E-MAIL vendas@cbicestas.com.br

LOCALIZAÇÃO

CBI Cestas Básicas e Cestas de Natal
Guarulhos -  SP

HORÁRIOS DE  ATENDIMENTO

Segunda a sexta

das 9;00 as 18:00h

  • Instagram
  • Facebook ícone social

 © 2020 por CBI Cestas